Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um homem de 36 anos foi detido no passado domingo de manhã e acusado pelo homicídio de Sabina Nessa, a professora primária que foi encontrada morta perto de casa em Londres, avança o The Guardian esta segunda-feira.

Koci Selamaj foi detido pela polícia na cidade Eastbourne (Inglaterra), e vai comparecer em tribunal na terça-feira, para responder à acusação de homicídio. O homem foi detido pouco mais de uma semana depois de o corpo da professora de 28 anos ter sido encontrado. Dois outros homens, de 38 e 41 anos, tinham sido presos, mas foram libertados.

Sabina foi assassinada num parque público e pôs o Reino Unido a discutir a segurança das mulheres

Sabina Nessa saiu de casa na noite do dia 17 de setembro, por volta das 20h30, para ir a um bar, onde nunca chegou a aparecer. No dia a seguir, o seu corpo foi encontrado num parque. O caso reacendeu o debate acerca da segurança das mulheres e jovens raparigas nas ruas.

O tio de Sabina, Shahin Miah, disse na semana passada que a insegurança das mulheres é “muito preocupante num país como o Reino Unido”. “Não queremos que o que aconteceu à Sabina aconteça a mais alguém”, afirmou, citado pelo mesmo jornal britânico.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O caso chamou à atenção de vários grupos que organizaram vigílias por todo o Reino Unido, como o grupo “Reclaim These Streets” (“reaver estas ruas”, numa tradução literal), que já tinha feito o mesmo noutro caso semelhante. O presidente da câmara de Londres, Sadiq Khan, disse que o a luta pela segurança das mulheres é “tão prioritária como o combate ao terrorismo” e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse no Twitter que irá fazer tudo o que puder para “prevenir estes crimes”.

Centenas juntam-se numa vigília em memória de Sabina Nessa, assassinada num parque público