O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, considerou esta quarta-feira que o Orçamento do Estado (OE) para 2022 é “talvez o melhor” deste Governo e “seria muito mau para o país se não fosse aprovado”.

É um grande orçamento para o país e, portanto, temos que fazer tudo para assegurar que é aprovado“, argumentou o ministro, em declarações aos jornalistas, à margem da cimeira aeronáutica Portugal Air Summit, em Ponte de Sor (Portalegre).

Questionado sobre a proposta do Governo para o OE2022, Pedro Nuno Santos insistiu tratar-se de “um belíssimo orçamento” e disse esperar que “seja aprovado para o bem de Portugal”.

“Seria muito mau para o país que este orçamento, que é talvez o melhor orçamento desde que somos Governo, não fosse aprovado”, destacou, indicando que o documento é pautado pelo “equilíbrio” em “todas as áreas”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A 5.ª edição do Portugal Air Summit, apresentada pelos promotores como “a maior cimeira aeronáutica da Península Ibérica”, arrancou esta quarta-feira no Aeródromo Municipal de Ponte de Sor, sob o tema “Flying for a New Start”.

A iniciativa, promovida pelo município e pela empresa TheRace, decorre até domingo, num formato híbrido (presencial e ‘online’), reunindo cerca de 200 oradores.

Estão presentes participantes de várias entidades relevantes da indústria, infraestruturas e serviços, para debaterem e analisarem, em cerca de 50 conferências, o setor da aviação — tripulada e não tripulada –, aeronáutica, espaço e defesa.

Antes das declarações aos jornalistas, o ministro discursou fazendo uma defesa da posição do executivo relativamente à TAP. Pedro Nuno Santos sugeriu, entre outras coisas, que “muitos querem ficar com um negócio que é da TAP” e defendeu que Portugal “não se pode dar ao luxo” de perder a empresa, que considerou “um dos maiores instrumentos de desenvolvimento nacional”.

Pedro Nuno Santos diz que “muitos querem ficar com um negócio que é da TAP” e que Portugal “não se pode dar ao luxo” de perder a empresa

O Governo entregou na segunda-feira à noite, na Assembleia da República, a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE22), que prevê que a economia portuguesa cresça 4,8% em 2021 e 5,5% em 2022.

O primeiro processo de debate parlamentar do OE2022 decorre entre 22 e 27 de outubro, dia em que será feita a votação, na generalidade. A votação final global está agendada para 25 de novembro, na Assembleia da República, em Lisboa.

As “contas certas” de um orçamento em momento de incerteza