Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Pedri, médio de apenas 18 anos do Barcelona, vai renovar contrato até 2026 e ficar com uma cláusula de rescisão de mil milhões de euros, a mais elevada da história do clube — ou seja, mais alta do que qualquer uma que Lionel Messi alguma vez teve.

“Barcelona e o jogador Pedro González, Pedri, concordaram com uma extensão do contrato válida até 30 de junho de 2026. A cláusula de rescisão fica nos mil milhões de euros. O novo contrato mantém o jogador das Ilhas Canárias ligado ao clube até ao final da temporada e nos próximos quatro anos. A assinatura oficial vai decorrer esta sexta-feira, dia 15 de outubro”, anunciou o Barcelona em comunicado, referindo depois que o jovem médio chegou a Camp Nou em agosto de 2020, há pouco mais de um ano. “O jogador tinha apenas 17 anos quando foi apresentado no Auditori 1899 e o ano em que completou 18 anos acabou por tornar-se um para recordar. Graças à sua visão coletiva para o jogo, a idade acabou por não ser uma barreira para a titularidade de Pedri no meio-campo”, pode ler-se sobre o espanhol que atuava no Las Palmas antes de ir para a Catalunha.

“Pedri fez 53 jogos com a camisola do Barcelona na temporada 2020/21, tornando-se o jogador com mais partidas pelo clube. No primeiro ano no Barcelona, ganhou ainda a Taça do Rei. O jovem jogador tornou-se ainda o segundo mais novo de sempre a atuar em 50 encontros oficiais, apenas atrás de Bojan Krkic. Pedri marcou o seu primeiro golo pelo Barcelona numa vitória por 5-2 contra o Betis. Ao marcar o último golo do jogo, tornou-se o quarto mais novo de sempre a marcar pelo clube na liga espanhola, atrás de Ansu Fati, Bojan Krkic e Leo Messi”, continua a nota.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Pedri esteve lesionado durante o início da temporada e, apesar de só ter voltado à equipa já depois de o Barcelona estar envolvido numa profunda crise, tem sido uma das exceções à quase inexistência de qualidade, intensidade e vontade no conjunto de Ronald Koeman. Contudo, se se pensava que o jovem médio poderia saltar para outras paragens para escapar à queda livre dos catalães, a verdade é que Pedri não só vai ficar em Camp Nou como também será a figura de proa de um clube que precisa de toda a publicidade positiva possível.

Pedri, o grão de areia da seleção espanhola que quer chegar aos 62 jogos numa época e dedicar um golo às Ilhas Canárias