Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Tiago Tomás, avançado de 19 anos do Sporting, foi esta sexta-feira a figura de destaque dos leões na goleada imposta ao Belenenses, num dérbi de Lisboa, no Estádio do Restelo, por 4-0. TT, como vem a ser conhecido, marcou dois golos e sofreu uma grande penalidade, e é um futebolista que o seu treinador, Rúben Amorim, diz ser “mais jogador” nos dias de hoje.

“O Tiago Tomás sente-se muito mais confortável a vir da direita para o meio. É mais fácil para ele porque aproveita o espaço do avançado, que hoje foi o Jovane, a falso 9. Mas tem muito para crescer, bateu recordes, já fez 50 jogos pelo Sporting mas ainda o ano passado era júnior. É mais jogador, está mais forte fisicamente e mais rápido a perceber os momentos. Só tem de continuar a ter a trabalhar que vai continuar a ter oportunidades. Não jogou aqui por ser para a Taça, porque também jogou em Dortmund”, garantiu Amorim.

Sobre o jogo de uma perspetiva geral, o treinador do Sporting disse que “são jogos que se tornam complicado”, mas que o facto de a sua equipa ter marcado “muito cedo podia abrir o jogo”. “Tivemos várias oportunidades e não marcámos, mas controlámos sempre o jogo e estivemos muito concentrados. Aqui ou ali havia um contra ataque do Belenenses, mas nós tivemos oportunidades como é normal e era a nossa obrigação. Devíamos ter feito o segundo golo mais cedo, o que fecharia um pouco o jogo, mas depois de fazermos o segundo tivemos várias oportunidades e acaba por ser um resultado justo”, disse.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Rúben Amorim patrocinou esta sexta-feira as estreias de vários atletas e elogiou-os, começando por dizer que o guarda-redes João Virgínia “é um jogador de seleção”. “Esteve muito bem, muito seguro na baliza, bem nas bolas em profundidade do Belenenses e com os pés. [Gonçalo Esteves] É um jogador com muito talento que tem de crescer. É o nosso futuro. Vai ser um grande jogador naquela posição e sinto-o preparado, mesmo com 17 anos, para jogar qualquer tipo de jogo”, disse, sem ter problemas em acrescentar que Ugarte, também em estreia na titularidade, “precisa de ritmo”, porque não só “chegou tarde” como “teve Covid-19” e foi “muito difícil para ele”.

O treinador do Sporting quis ainda realçar o defesa de 21 anos João Goulart, que também lançou no encontro já no final do mesmo, destacando que é um jogador que “fez um trajeto não se evidenciando”, mas que a sua estreia é “um sinal para todos”. “Não conta o passado, conta o presente e o que fazem agora. O Goulart mereceu a estreia e… estes miúdos têm de olhar para o Esgaio, por exemplo, que é concentrado a jogar e é um jogador de futebol, jogador de futebol [sic]. Têm de olhar para estes exemplos”, atirou.

Uma possível lesão de Pedro Porro já deixou Amorim mais resignado: “Foi uma entrada por trás… Não jogando o Porro, joga o Esgaio ou o Esteves, que está preparado”.