Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Diogo Costa renovou com o FC Porto até 2026. O guarda-redes de 22 anos, agora internacional português, prolongou o vínculo com os dragões numa temporada em que aproveitou a lesão de Marchesín para agarrar a titularidade na baliza. O novo contrato prevê uma melhoria salarial para o jogador, que vai passar a auferir cerca de 750 mil euros por época.

A renovação de Diogo Costa antecipa-se à de Fábio Vieira, internacional Sub-21 que deve prolongar a ligação com o FC Porto nos próximos dias. O anúncio da renovação do guarda-redes foi feito pelo próprio clube, através das redes sociais, sendo que o jogador marcou presença numa curta conferência de imprensa ao lado de Pinto da Costa e à frente de uma das balizas do Estádio do Dragão.

“É sempre um bom dia para o clube, para todos, e será também um dia que o Diogo Costa vai recordar toda a vida. Confio muito que nestes anos vai ter muitas vitórias e títulos ganhos juntamente com os colegas de equipa e o treinador. É um momento que merece ficar marcado na vida do FC Porto, como vai ficar marcado na vida do Diogo”, começou por dizer o presidente dos dragões, numa cerimónia que contou também com a presença de Helton e Vítor Baía, dois antigos guarda-redes do clube (sendo que o último é agora vice-presidente).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Diogo Costa, em resposta, confirmou que este é um dia que “vai ficar marcado para o resto da vida”. “É sempre uma honra enorme representar o clube do coração desde que nasci. Vou dar tudo por este clube e pela equipa também. Relativamente ao número 99 [que usa e que foi celebrizado por Vítor Baía], é uma grande responsabilidade porque quero que o número continue a ser visto por todos. A responsabilidade é levar sempre esse número ao êxito. É sempre um prazer enorme representar este clube”, atirou.

De recordar que Diogo Costa, formado no FC Porto, fez a primeira internacionalização pela Seleção Nacional no passado sábado, frente ao Qatar, tendo cumprindo os 90 minutos do encontro particular sem sofrer qualquer golo.

De Cédric a Rafael Leão, Fernando Santos já lançou 56 jogadores ao longo de sete anos na Seleção Nacional