Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Porsche revelou os dados relativos às vendas do 3º trimestre do ano, bem como no acumulado de Janeiro a Setembro, e os dados não podem ser mais claros. O Taycan comercializou 28.640 unidades, divididas entre a berlina e o crossover Cross Turismo. Atrás do modelo eléctrico deste construtor alemão do Grupo Volkswagen ficou o mítico 911, o sucessor do modelo que criou a marca, que se ficou pelas 27.972 unidades.

Os resultados do 3º trimestre provam que a Porsche é cada vez mais uma marca de carros mais pesados e volumosos, os tradicionais SUV, pois o ranking dos mais vendidos foi liderado pelo Cayenne, que colocou no mercado 62.451 veículos. A estes é necessário juntar as vendas de outro SUV, o Macan, que transaccionou 61.944 unidades, pelo que, juntos, os SUV da Porsche totalizam 124.395 unidades, ou seja, 57% do total da produção do fabricante alemão.

Além de vender mais do que o 911, o Taycan superou igualmente o outro desportivo da casa, o 718, nas versões Cayman e Boxster, que não ultrapassou os 15.916 veículos, aplicando o mesmo tratamento à berlina Panamera (20.275), que na realidade se pode considerar um Taycan com motor de combustão.

Esta preponderância do Taycan nas vendas da Porsche mais não irá fazer do que incentivar a adopção de mais modelos eléctricos por parte do construtor alemão. Já se sabe que em breve surgirá o Macan 100% a bateria e tudo indica que a mudança de tecnologia não ficará por aqui.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR