Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A medida lançada pelo Governo para apoiar o reforço de funcionários nos equipamentos sociais e de saúde permitiu a colocação de mais de 22 mil pessoas em 2.040 instituições até ao final agosto, noticia o Jornal de Notícias (artigo para assinantes).

A Medida de Apoio ao Reforço de Emergência de Equipamentos Sociais de Saúde (MAREESS) foi criada para colmatar as falhas causadas pela pandemia nos apoios sociais trabalhadores em isolamento, em apoio à família ou em turnos em espelho.

A maioria das instituições abrangidas são de apoio a idosos, sendo que a maior parte fica na região do Porto (11%), segundo o Jornal de Notícias, que não conseguiu apurar quantos dos mais de 22 mil funcionários estão ainda em funções.

A iniciativa permite às instituições do setor solidário recrutarem, através de um protocolo com o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), desempregados ou trabalhadores com contratos suspensos. Apenas 10% da remuneração destes funcionários é assegurada pelas instituições, ficando o restante a cargo do IEFP.

O sucesso da medida levou o Governo a prorrogá-la até ao final do ano. Entretanto, o Ministério do Trabalho anunciou um prémio de 5.266 euros por cada trabalhador “contratado sem termo no prazo de 20 dias úteis após o fim do projeto realizado o abrigo da MAREESS”, sem limite quanto ao número de prémios a atribuir.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR