Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O presidente da câmara reeleito Basílio Horta recusou cumprimentar Ricardo Baptista Leite, que tomou posse como vereador do PSD pela coligação “Curar Sintra”, na cerimónia de tomada de posse dos órgãos municipais de Sintra para 2021-2025, esta terça-feira.

Num vídeo divulgado pelo próprio Baptista Leite nas redes sociais Facebook e Twitter, filmado algumas filas atrás do sucedido, pode ver-se o momento. Basílio Horta está sentado na primeira fila da plateia no Centro Olga Cadaval, Baptista Leite aproxima-se, estica a mão e o presidente reeleito abana a cabeça em sinal negativo e não retribui o aperto de mão ao candidato do PSD.

A acompanhar o vídeo publicado nas redes sociais o social democrata comentou: “Sintra merece mais. O presidente eleito Basílio Horta recusou-se a cumprimentar o candidato do segundo partido mais votado. As pessoas de Sintra só perdem com estas birras pessoais. Da minha parte, continuarei a defender Sintra e não nos deixaremos intimidar com faltas de educação.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em declarações à TVI24, Basílio Horta disse que durante a campanha autárquica foi alvo de “ataques e insultos pessoais”. Ao Polígrafo, respondeu que é a primeira vez na sua vida política que não aperta a mão a um adversário e justifica com alguns momentos da campanha autárquica, concluindo que seria hipócrita da sua parte apertar a mão a Baptista Leite. O presidente reeleito acrescenta que as relações institucionais não serão afetadas, pois são os munícipes que importam.

Basílio Horta refere ainda que o candidato da coligação “Curar Sintra” o apelidou de cobarde durante a campanha, e conta que ficou especialmente ofendido com os cartazes que o colocavam de costas a fugir.

O “médico da TV” que quer “curar Sintra” não tira a “tranquilidade absoluta” a Basílio Horta

Nas eleições autárquicas que ocorreram no passado dia 26 de setembro Basílio Horta recandidatou-se à presidência da Câmara Municipal de Sintra pelo Partido Socialista (PS) e, embora tenha perdido a maioria absoluta que trazia do mandato anterior, ganhou as eleições com 35,29% dos votos (5 mandatos), em segundo lugar ficou a coligação “Curar Sintra” encabeçada por Ricardo Baptista Leite e que incluía os partidos PSD, CDS-PP, Aliança, MPT, PDR, PPM e RIR, com 27,52% dos votos (4 mandatos).