O ex-Presidente dos Estados Unidos da América Donald Trump disse esta terça-feira que Colin Powell, o ex-secretário de Estado falecido na segunda-feira, “cometeu muitos erros”, antes de desejar que ele “descanse em paz”.

“Ele cometeu muitos erros, mas de qualquer modo que descanse em paz”, afirmou o ex-Presidente norte-americano.

Covid. Morreu o general Colin Powell, estratega da Guerra do Golfo e antigo secretário de Estado norte-americano

Colin Powell — que foi um dos mais duros críticos de Donald Trump, durante o seu mandato presidencial, apesar da sua proximidade ao Partido Republicano — morreu na segunda-feira, aos 84 anos, vítima de complicações relacionadas com a Covid-19, tendo sido homenageado por todas as fações políticas, incluindo o Presidente democrata Joe Biden, que o caracterizou como um “amigo”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Trump ironizou com o consenso formado à volta do falecido general, dizendo que gostaria de ter esse concerto de elogios quando morrer. “É maravilhoso ver como os media de desinformação [das Fake News] lidam com o falecido Colin Powell, que cometeu grandes erros no Iraque e notoriamente nas chamadas armas de destruição em massa. Espero que isso aconteça comigo um dia também”, escreveu o ex-Presidente.

Mulher de Colin Powell também tem Covid-19

Donald Tump também acusou Powell de ser “um suposto republicano“, “sempre rápido a atacar outros republicanos”, uma crítica que já fazia quando ainda estava vivo o homem que foi o primeiro afro-americano a chegar ao cargo de chefe do Estado-Maior das Forças Armadas.

Cancro de Colin Powell limita não só a produção de anticorpos como de células T contra a Covid-19

Colin Powell sempre foi muito duro nas críticas a Donald Trump, não poupando adjetivos negativos contra o seu programa político. O ex-secretário de Estado apoiou a candidatura democrata de Hillary Clinton contra o republicano, em 2016, e, quatro anos depois, anunciou publicamente que iria votar em Joe Biden, novo adversário de Trump.