Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A próxima edição do festival de música ID No Limits, que decorre no Centro Congressos Estoril (no concelho de Cascais, distrito de Lisboa), terá afinal duração de três dias em vez dos dois inicialmente previstos.

A novidade é anunciada pela organização, através de um comunicado enviado à imprensa que também revela novos detalhes sobre a composição do cartaz.

O festival não acontece desde 2019, tendo a edição de 2020 sido adiada face à situação pandémica que restringiu a realização de festivais de música em Portugal. Às datas de atuações agendadas para daqui a quatro meses — 25 e 26 fevereiro de 2022 — junta-se mais um dia de concertos: quinta-feira, 24 de fevereiro.

Paralelamente ao anúncio de mais um dia de festival, a organização do ID No Limits confirma agora que a edição do próximo ano terá concertos do rapper Octavian — nascido em França, mas figura emergente do hip-hop do Reino Unido (para onde se mudou com a família aos três anos) — e da cantora e compositora de neo-soul e “R&B psicadélico” Greentea Peng, também britânica e que este ano editou um álbum de estreia muito elogiado, intitulado Man Made.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O disco que Greentea Peng vai apresentar no Centro Congressos Estoril foi lançado na sequência da revelação de uma série de singles e de dois EP (ou mini-álbuns) que fizeram a estação BBC dar-lhe em janeiro um lugar de destaque na sua lista anual “BBC Music Sound of”, referente às promessas da música britânica do ano de 2021.

A Octavian e Greentea Peng juntam-se também no cartaz os portugueses T-Rex, Tristany, Regula, Mynda Guevara, Lon3r Johny, Sippinpurpp e Xtinto. São também confirmadas atuações da cantora e compositora de música afro-latina (residente em Portugal) Soluna, da DJ argentina Flaca e da DJ britânica Jamz Supernova.

Estes nomes somam-se aos artistas previamente anunciados pela organização do festival para integrar o cartaz: Rejjie Snow, Kelsey Lu, Coucou Chloe, Pedro da Linha e DJ Adamm.

Tristany chegou para cantar as dores e os sonhos, a Linha de Sintra e o amor, a periferia e o mundo

Apresentado pela organização como um “evento que combina música urbana e eletrónica com o que de mais contemporâneo se produz um pouco por todo o mundo”, o ID No Limits é um festival de música centrado nos eixos estéticos do hip-hop, da música eletrónica e de dança e do jazz eletrónico.