Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

É uma história de um amor não correspondido. Com a vitória desta terça-feira frente ao AC Milan, o FC Porto já ganhou sete vezes a equipas italianas em casa, com Sérgio Conceição a somar mesmo um registo 100% vitorioso contra conjuntos da Serie A no Dragão graças aos resultados contra a Roma, a Juventus e agora os rossoneri. Uma estatística que não deixa de ser curiosa já que ele próprio, o treinador dos dragões, fez grande parte da carreira em Itália e chegou a ser campeão nacional.

Havia aviso, alerta e sinalização. Mas estamos mesmo a viver os Díaz de Luis (a crónica do FC Porto-AC Milan)

Certo é que, com a primeira vitória conquistada na atual edição da Liga dos Campeões, o FC Porto tem agora quatro pontos e distanciou-se do AC Milan e está empatado com o Atl. Madrid no Grupo B — embora tenha pior diferença de golos. Nas outras sete vezes em que os dragões terminaram a terceira jornada da fase de grupos da competição com quatro pontos conseguiram qualificar-se para os oitavos de final em quatro ocasiões, tendo a última ocorrido em 2016/17. Na flash interview, Sérgio Conceição não escondeu a satisfação com o resultado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Não foi uma perfeição porque faltou a eficácia. Agora… Foi a roçar a perfeição. Fomos uma equipa adulta, madura, a perceber como desmontar o AC Milan na defesa. Também tendo como base permitir muito pouco ao adversário, que mesmo com ausências é um oponente capaz, com peso e história. Será sempre uma das melhores equipas do mundo, é a segunda mais titulada do mundo… Mas nós também temos peso e história. A preparação do jogo foi muito boa e eles, os jogadores, interpretaram muito bem o que queríamos. Quando a estratégia é bem definida e os intérpretes metem esse jogar no limite da agressividade, do rigor, da intensidade… Os jogadores estão de parabéns, fizeram um grandíssimo jogo dentro de uma noite europeia a que estamos habituados”, disse o treinador dos dragões.

Ainda assim, e como é seu apanágio, Sérgio Conceição deixou a ideia de que é necessário encontrar melhorias “na finalização”. Tivemos situações para finalizar melhor. Infelizmente, havia sempre um jogador do AC Milan a aparecer, uma bola ao lado do poste, outra no poste… Faz parte do jogo. Se a vitória é justa, sim. Quanto ao resultado, merecíamos mais”, atirou.

Já Taremi, que foi eleito o Homem do Jogo apesar do golo de Luis Díaz e de ter desperdiçado diversas oportunidades, explicou que lhe faltou “sorte”. “Não conseguimos marcar mais. O AC Milan é uma grande equipa, jogam muito bem. Tive algumas oportunidades mas estive infeliz. Este primeiro jogo depois das seleções é muito difícil. Ganhámos, foi tudo perfeito”, disse o avançado iraniano, que foi titular e saiu já na segunda parte para dar o lugar a Toni Martínez.