Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Food and Drug Administration (FDA), autoridade do medicamento norte-americana, autorizou as doses de reforço das vacinas contra a Covid-19 da Moderna e da Johnson & Johnson e concedeu a possibilidade de haver uma combinação de qualquer uma das vacinas autorizadas.

De acordo com o Washington Post, o reforço dado a quem recebeu a Johnson & Johnson é para qualquer pessoas com 18 ou mais anos, enquanto o da vacina da Moderna foi autorizado para pessoas com 65 ou mais anos ou adultos com doenças graves ou exposição à doença no trabalho.

Assim, de acordo com as novas indicações quem recebeu uma vacina da Johnson & Johnson poderá receber um reforço com a Moderna ou Pfizer, desde que seja alguém com mais de 18 anos. E quem foi vacinado com Moderna pode receber um Johnson & Johnson ou Pfizer, se tiver mais de 65 anos ou pertencer a um grupo de alto risco.

Em comunicado, a FDA esclareceu que “qualquer uma das vacinas contra a Covid-19 disponíveis pode ser administrada como dose de reforço após a conclusão da vacinação primária”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em setembro, os EUA autorizaram a inoculação com uma terceira dose de reforço da vacina Pfizer contra o coronavírus SARS-CoV-2 para as pessoas com idade a partir dos 65 anos, assim como para pessoas que pertencem a grupos de risco.

Uma semana depois, foi o próprio Presidente norte-americano, Joe Biden, que quis dar o exemplo e levou a terceira dose da vacina.

Neste momento 409 milhões de pessoas nos EUA já foram vacinadas, 189 milhões com o esquema vacinal completo, o que se traduz em 56% da população do país.