Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma explosão destruiu um autocarro de passageiros em Damasco, a capital síria, e pelo menos 14 pessoas morreram e várias ficaram feridas, avança a AP que cita fontes locais.

A explosão terá decorrido quando dois dispositivos explodiram junto à ponte Hafez Al Assad, por onde o autocarro passava. A situação terá decorrido durante a hora de ponta, altura em que havia maior fluxo de circulação de pessoas a deslocar-se na cidade.

Segundo a agência noticiosa local, a Syrian Arab News Agency (SANA), um terceiro dispositivo estaria a ser desativado por uma unidade especial do exército. A Sky News cita uma televisão local que se refere à explosão como um “ataque terrorista”.

Num vídeo publicado pela mesma agência, é possível ver o veículo carbonizado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“É um acto cobarde”, disse à televisão estatal Hussein Jumaa, comandante da polícia de Damasco, citado pela AP. O general acrescentou ainda que as forças policiais isolaram a área assim que a explosão ocorreu para garantirem que não haveria mais bombas, tendo as autoridades deixado o alerta para que os cidadãos reportassem qualquer objeto suspeito que vissem.

À parte do sucedido na capital síria, os trabalhadores de resgate relataram também a morte de mais 10 pessoas, incluindo quatro crianças e uma mulher, em bombardeamentos numa cidade no último enclave rebelde do noroeste do país, atingindo a cidade de Ariha, na província de Idlib.

Já em 2017, uma explosão num autocarro armadilhado, junto a outros autocarros que retiravam civis e combatentes de Alepo, provocou mais de 100 mortos.