Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Tanto Rui Rio como Paulo Rangel foram buscar os diretores de campanha ao distrito de Aveiro. Depois de o atual líder ter voltado a apostar no seu homem do aparelho e vice-presidente Salvador Malheiro, Paulo Rangel escolheu como diretor de campanha Pedro Esteves, seu assessor no Parlamento Europeu há mais de 11 de anos e membro do seu inner circle, em matéria de comunicação e estratégia política. Na direção de campanha de Rangel estará ainda o deputado Emídio Guerreiro, o antigo líder da distrital de Setúbal e secretário-geral adjunto do PSD de Passos Coelho, Bruno Vitorino, e o presidente da distrital de Coimbra, Paulo Leitão.

Pedro Esteves tem sido nesta fase de pré-campanha o principal braço de Rangel junto das estruturas do PSD. É Paulo Rangel que faz muitos dos contactos diretamente, mas há sempre um trabalho de preparação de Pedro Esteves, que é militante do PSD há 12 anos, na concelhia de Anadia, também em Aveiro — um dos distritos onde a luta Rio-Rangel terá um braço-de-ferro interessante de acompanhar nas diretas.

Esteves fez as três campanhas das Europeias como Paulo Rangel, embora em 2009 sem funções na estrutura. Em 2014, já assumiu mais a ponte com os jornalistas, a par de Gonçalo Villas Boas. Teria o mesmo papel de assessoria na campanha das Europeias de 2019 e — mesmo que não tivesse oficialmente qualquer cargo na direção da campanha — manteve contacto com as estruturas. Ao longo dos últimos anos, Paulo Rangel tem participado em inúmeras sessões junto de concelhias do PSD, que permitiram a Pedro Esteves e ao próprio candidato ter esse conhecimento e maior proximidade às estruturas.

Outro dos membros da direção de campanha é Emídio Guerreiro. O deputado e militante concelhia de Guimarães, já se tinha posicionado do lado oposto ao de Rui Rio nas últimas diretas, tendo apoiado Luís Montenegro. Bruno Vitorino nas últimas diretas era líder da distrital de Setúbal e apoiou Miguel Pinto Luz que, à primeira volta, venceu naquele distrito. Vitorino sempre foi apoiante de Passos Coelho e foi secretário-geral adjunto logo na primeira direção do antigo primeiro-ministro, que tinha Miguel Relvas como secretário-geral.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Paulo Leitão, que também integra a direção de campanha, é líder da distrital de Coimbra. Também esta quarta-feira Paulo Leitão emitiu um comunicado a “manifestar publicamente” o apoio a Paulo Rangel. O líder distrital diz que o eurodeputado “reúne as condições pessoais e políticas para unir, agregar e mobilizar o partido e apresentar um projeto político com visão de futuro que se supere na ambição”. Na mesma linha de Rangel, Leitão quer contrariar aquilo que considera ser uma “errada” estratégia de Rio de “aguardar pelo natural desgaste da governação, sem qualquer esforço ou intenção de empreender uma real oposição”.

O membro escolhido por Paulo Rangel para integrar a futura comissão eleitoral, que será necessariamente criada para as diretas, é o antigo presidente da concelhia do PSD/Porto, Hugo Neto.