Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A ida de Cristiano Ronaldo para o Manchester United ficou confirmada já no final do mês de agosto, quando o jogador português já tinha participado numa partida pela Juventus e depois de a preparação de Massimiliano Allegri para a temporada ter sido feita a pensar que o avançado ia estar na equipa. Allegri assumiu que o timing não foi perfeito, Agnelli assumiu que o timing não foi perfeito e agora foi a vez de Chiellini, o capitão de equipa, assumir que o timing não foi perfeito.

“Ronaldo foi embora a 28 de agosto, teria sido melhor para nós se tivesse saído mais cedo. Não foi uma coisa difícil de digerir mas apanhou-nos um pouco de surpresa e, na minha opinião, pagámos isso em termos de pontos nos primeiros jogos. Se tivesse saído a 1 de agosto, teríamos tipo tempo para nos prepararmos melhor e teríamos chegado ao início do campeonato um pouco mais preparados”, disse o internacional italiano em entrevista para a DAZN Italia.

O lamento de Bonucci após a saída de Ronaldo: “A presença dele influenciou-nos muito, pensámos que era suficiente para ganhar jogos”

Ainda assim, Chiellini reconhece que compreendeu a decisão do jogador português. “Tínhamos chegado a um ponto na relação em que o Cristiano precisava de novos estímulos e de uma equipa que pudesse jogar para ele. Porque ele é decisivo quando encontra uma equipa assim. O início de temporada de Ronaldo não me surpreende porque o demonstrou ao longo da sua carreira e também nestes anos connosco”, explicou o central de 37 anos, garantindo depois que a Juventus está em processo de renovação depois da saída do jogador português — um processo que foi antecipado um ano, já que Cristiano Ronaldo tinha contrato até 2022.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Está em marcha um programa de rejuvenescimento e reinício aqui na Juventus. É evidente que, se Ronaldo tivesse ficado, teria sido uma mais-valia e teríamos gostado de o explorar. Mas ele preferiu concentrar-se mais no presente do que no futuro”, terminou Chiellini. De recordar que a equipa italiana teve um início de temporada complicado, somando a primeira vitória na Serie A apenas à quinta jornada, mas tem estado em processo de franca recuperação e não só leva cinco jogos consecutivas a ganhar no campeonato como venceu as três primeiras jornadas da Liga dos Campeões.

Sem vitórias, sem Ronaldo, com claque insatisfeita e um treinador com poucas opções. Como vai a Juventus pós CR7