349kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Boletim DGS. Há mais de um mês que Portugal não tinha tantas novas infeções

Número de novos casos não era tão alto desde 18 de setembro passado. Esta sexta-feira, a incidência subiu ligeiramente, enquanto o índice de transmissibilidade se manteve face a quarta-feira.

People wearing protective masks walk near a trolley station
i

Lisboa e Vale do Tejo é a região com mais novas infeções registadas

SOPA Images/LightRocket via Gett

Lisboa e Vale do Tejo é a região com mais novas infeções registadas

SOPA Images/LightRocket via Gett

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

É preciso recuar a 18 de setembro último para encontrar um número mais elevado de novas infeções com o vírus que provoca a Covid-19. Nessa data, a Direção-Geral da Saúde (DGS) registou mais 939 casos, um número semelhante ao desta sexta-feira (mais 930). A tendência de aumento dos novos casos reflete-se no valor da incidência (o número de novos casos nos últimos 14 dias por 100.000 habitantes), que é agora de 86,1 casos por 100.000 habitantes a nível nacional (na última atualização, de quarta-feira, estava nos 84,4) e de 86,5 no continente (até aqui estava nos 84,8).

Já o índice de transmissibilidade — o R(t) — mantém-se em 1,02, tanto a nível nacional, como no continente. Nas últimas 24 horas, Portugal registou também mais oito mortes, o mesmo número do dia anterior, segundo o boletim diário da DGS.

O Presidente da República está atento à evolução da pandemia e mostrou, esta sexta-feira, preocupação com o agravamento da situação nalguns países, nomeadamente na Europa, antecipando “muitos problemas no horizonte”. “Olho para o mundo e para a Europa, vejo que a recuperação não está a começar, que a pandemia em muitos casos está a voltar, os preços da energia a subir”, resumiu. Com receio de que esses ventos cheguem também a Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa apelou à viabilização do Orçamento do Estado no Parlamento para que à crise sanitária não se junte uma eventual crise política.

Marcelo aponta para regresso da pandemia para defender que OE deve passar. “Há muitos problemas no horizonte”

Mais doentes em cuidados intensivos face à última sexta-feira

O boletim da DGS revela ainda que há menos quatro internados em enfermaria, para um total de 284. O número de internamentos está a descer há quatro dias consecutivos (é normal subir aos fins de semana). A situação está também melhor se compararmos com o mesmo dia da semana passada, quando estavam internadas 301 pessoas.

Especificamente em cuidados intensivos, há mais duas pessoas nestas unidades desde o dia anterior, totalizando agora 60. Neste caso, a situação piorou face à sexta-feira anterior: nessa altura, estavam em UCI 55 pessoas.

Boletim DGS. Lisboa e Vale do Tejo com 40,5% dos novos casos

Lisboa e Vale do Tejo é a região com mais novas infeções registadas esta sexta-feira: são 377, o que representa 40,5% do total. Segue-se a região Norte, com 223; o Centro, que tem mais 186; o Alentejo, com mais 53; e o Algarve soma mais 52.  Nas ilhas, a DGS contabilizou 22 casos na região autónoma da Madeira e 17 na região autónoma dos Açores.

Quanto aos óbitos, dois aconteceram no Norte, outros dois no Centro, mais dois no Alentejo e um no Algarve e Lisboa e Vale do Tejo, respetivamente. As regiões autónomas não oficializaram mortes.

A informação revelada para DGS permite ainda perceber que todas as mortes das últimas 24 horas foram registadas acima dos 70 anos. Foram oficializados os óbitos de dois homens  e duas mulheres entre os 70 e 79 anos. Com 80 ou mais anos, morreram três homens e uma mulher.

A página está a demorar muito tempo.