A empresa Cifial, que em Santa Maria da Feira produz fechaduras eletrónicas e equipamento sanitário para banho e cozinha, vai despedir 13 pessoas, o que os trabalhadores dessa unidade classificaram esta quinta-feira como “desumano e desnecessário”.

A fábrica sedeada em Rio Meão, no referido concelho do distrito de Aveiro, emprega atualmente 233 funcionários e quer avançar com o despedimento coletivo de 13 desses profissionais até ao final do ano.

A situação motivou um plenário esta quarta-feira, após o qual o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Centro e Norte (SITE CN) descreveu o plano de redução de pessoal da empresa como “cirúrgico, injustificável e desnecessário”.

Essa estrutura sindical defende que “é desumano adotar tal decisão numa altura em que todos estão a sair de uma pandemia que deixou marcas na sociedade” e alerta que a empresa tem condições “para manter estes 13 trabalhadores a laborar”, eventualmente, afetando-os “a outras tarefas compatíveis com a sua experiência profissional”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O SITE CN admite que a Cifial está a passar “por um período de transição” face à pandemia de covid-19, mas realça que “o recurso ao recrutamento de trabalhadores com contrato a termo tem sido uma constante” nessa unidade, já que, apesar dos cortes no quadro de pessoal “ao longo dos últimos anos”, a fábrica “tem tido a necessidade de recorrer a empresas externas para conseguir responder às encomendas dos clientes”.

Contactada pela Lusa, a Cifial já confirmou o despedimento, mas ainda não deu mais esclarecimentos sobre o assunto