Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um homem de 24 anos foi esta sexta-feira detido no aeroporto de Manchester, acusado de ser cúmplice do ataque terrorista que teve lugar na arena de Manchester, em maio de 2017, durante um concerto da cantora norte-americana Ariana Grande, avança a BBC.

As autoridades desconfiam que o suspeito, da localidade de Fallwfield nos subúrbios de Manchester, ajudou a preparar o atentado. “Passaram quatro anos desde que essa atrocidade aconteceu”, sublinhou o investigador Simon Barraclough à BBC, que acrescentou que a polícia continua “comprometida descobrir a verdade sobre as circunstâncias do ataque terrorista”.

Ataque em concerto de Ariana Grande em Manchester faz 22 mortos e mais de 50 feridos

Um total de 22 pessoas morreram e 59 ficaram feridas quando Salman Abedi, um jovem de origem líbia, se fez explodir no final do concerto. O Estado Islâmico acabou por reivindicar o ataque.

Os dois irmãos de Salman Abedi ajudaram-no a organizar o ataque. O mais novo, que o ajudou a fabricar a bomba, foi condenado a uma pena de prisão de pelo menos 55 anos, enquanto o mais velho apenas o terá auxiliado no transportes de materiais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O irmão mais velho conseguiu sair de Inglaterra e recusou ajudar as autoridades a perceber o motivo pelo qual os irmãos se radicalizaram, decidindo permanecer fora do país. Os familiares das vítimas que morreram no concerto consideram que Ismail Abedi se “riu na cara” deles.

O que já se sabe do bombista suicida de Manchester, Salman Abedi

Salman Abedi nasceu em 1994, na cidade de Manchester, no seio de uma família de origem líbia. O terceiro de quatro filhos, frequentou, entre 2009 e 2011, a Burnage Academy for Boys na mesma localidade. Depois disso, terá estudado negócios e gestão na Universidade de Salford.