O treinador do FC Porto garantiu esta sexta-feira estar à espera de “um jogo difícil” frente ao Tondela, na nona jornada da I Liga de futebol, referindo que o adversário é “o quarto melhor ataque” da prova.

Sérgio Conceição garantiu, no entanto, que é obrigação do FC Porto “ir com tudo para ganhar”, apesar do desgaste no último encontro, com o AC Milan, a contar para a Liga dos Campeões.

O chip tem que estar sempre em alerta para todos os dias estarmos focados na preparação dos jogos, independentemente da competição que vamos disputar. A coragem que tivemos no último jogo, boa organização, ambição foram uma realidade. Neste jogo queremos os mesmos ingredientes”, salientou o técnico dos dragões em conferência de imprensa de antevisão da partida com o Tondela.

Em relação ao adversário, Sérgio Conceição não poupou elogios, mas revelou-se preparado para as dificuldades que o Tondela poderá apresentar.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Vem de três vitórias e tem uma equipa que estabilizou. Em todos os meios tem bons princípios. É o quarto melhor ataque. É uma equipa virada para a frente. Com os grandes’ sofreu só nos minutos finais. Estamos à espera de um jogo difícil, mas temos obrigação de ir com tudo para ganhar. Três pontos importantes que ambicionamos”, garantiu.

O treinador dos azuis e brancos abordou ainda o alegado interesse de vários clubes em contratar o colombiano Luis Díaz, desvalorizando a situação.

“Não sinto dores de cabeça com as coisas que gravitam aqui no mundo do futebol, com especulações e notícias do que poderá e não poderá acontecer. Não entra no balneário. Obviamente que jogando a Liga dos Campeões, com o mediatismo da competição, é normal que suscite a cobiça de alguns jogadores. É absolutamente normal e natural”, salientou.

Questionado sobre se considera que Taremi tem o rótulo de um jogador que procura a grande penalidade, Sérgio Conceição não poupou os elogios ao avançado iraniano.

“Vejo o Taremi como um jogador super honesto, com a profissão, com os colegas, com os adversários, com os árbitros. Acho que em todos os jogos pede desculpas aos adversários e aos árbitros. É um jogador extremamente honesto. A imagem que criaram dele é de má-fé. Mas pior do que isso é ir toda a gente atrás”, começou por dizer o treinador, que criticou ainda algumas decisões da arbitragem, nomeadamente numa situação com Taremi no último jogo para o campeonato com o Paços de Ferreira.

“Mas aquilo que me espanta, não só desse lance, é que o árbitro pode até ser induzido em erro, pela visão que tem naquele momento, ter algumas dúvidas e não assinalar grande penalidade. Sente-se confortável porque tem câmaras e gente para alertar, numa situação que é penálti claríssimo. Das duas uma, ou não tem competência ou precisa de ir ao oculista. Aquilo é um lance claro, como já aconteceu noutros lances”, criticou.

O FC Porto, segundo classificado, com 20 pontos, menos um que o líder Benfica, desloca-se no sábado, às 18h00, a Tondela para defrontar a equipa de Pako Ayestarán, que ocupa a 10.ª posição, com nove pontos, numa partida que será arbitrada por Fábio Veríssimo, da associação de Leiria.