As Ligas Europeias reuniram-se esta sexta-feira para rejeitar o novo calendário anual proposto pela FIFA para as janelas internacionais, além da proposta do mesmo organismo de realizar o Mundial de futebol de dois em dois anos.

Em comunicado da organização, fica clara uma “rejeição forte e unânime a todas as propostas da FIFA a mudanças no calendário de jogos internacionais”, após uma ideia levantada de menos pausas para partidas de seleções, mas que durariam mais tempo.

A “mudança severa de valor económico e desportivo das Ligas domésticas para competições internacionais” é uma das principais preocupações, além dos perigos para jogadores e adeptos.

Um equilíbrio entre as competições de clubes nacionais e as continentais ou mundiais, seja de clubes seja de seleções, e “o Mundial e outros torneios continentais continuarem como atualmente programados” são os desígnios das Ligas Europeias, que pedem “mudanças tão limitadas quanto possível” às janelas internacionais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A reunião discutiu ainda outros assuntos, como a nova regulamentação para o fair play financeiro da UEFA, que será aprovado até março de 2022, ano em que a reunião das Ligas será na Turquia.

O grupo de 33 países diferentes recebeu um briefing de técnicos da FIFA, que prometeu uma discussão democrática sobre o futuro do Campeonato do Mundo e do calendário internacional, adiando um voto sobre a matéria, planeado para dezembro, para uma data a definir no próximo ano.