Mais de 175.000 pessoas assinaram, até este domingo, uma petição a pedir a proibição de armas de fogo nas filmagens, na sequência da morte de uma diretora de fotografia causada por um tiro disparado acidentalmente pelo ator Alec Baldwin.

A petição, alojada no site change.org pede a proibição de armas de fogo reais em filmagens, mas também melhores condições de trabalho para as equipas envolvidas na produção de filmes.

Houve dois disparos acidentais dias antes do acidente fatal de Alec Baldwin. Arma seria uma “cold gun” e não estaria carregada

O apelo foi iniciado depois de a diretora de fotografia do filme “Rust” ter sido atingida por um tiro disparado pelo ator Alec Baldwin, durante as filmagens, com uma arma usada como acessório, mas que se pensava não ter munições reais. Atingida no peito na quinta-feira, Halyna Hutchins ainda foi transportada de helicóptero para um hospital, mas acabou por morrer.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Da Ucrânia para Hollywood: Halyna Hutchins, a diretora de fotografia cuja vida e carreira promissora acabaram com um tiro acidental

“Não há nenhuma razão para uma coisas destas acontecer no século XXI”, refere o texto da petição lançada pelo cineasta Bandar Albuliwi.

Já no sábado, o senador democrata da Califórnia Dave Cortese tinha afirmado existir “uma necessidade urgente de abordar o problema dos alarmantes abusos (das leis do trabalho) e violações de segurança que acontecem nas gravações dos filmes, incluindo situações desnecessárias de alto risco, como o uso de armas de fogo reais”.

“Tenho intenção de apresentar um projeto de lei que proíba as munições reais nas filmagens feitas na Califórnia, a fim de prevenir este tipo de violência sem sentido”, disse o senador.

A série de detetives “The Rookie”, que se passa em Los Angeles, decidiu, no rescaldo do acidente com a diretora de fotografia de “Rust”, banir de imediato todas as armas reais nas suas filmagens, segundo avança a revista de cinema The Hollywood Reporter.

De acordo com a Associated Press, que cita os registos da investigação, o acidente aconteceu na quinta-feira, quando a equipa de filmagem se preparava para ensaiar uma cena e o assistente de realização Dave Halls foi buscar uma arma de adereço que entregou a Alec Baldwin gritando a expressão “cold gun”, o que significa que era seguro usar a arma, por não estar carregada com munições verdadeiras. Quando Baldwin premiu o gatilho atingiu fatalmente a diretora de fotografia e feriu o realizador.

A arma disparada era uma de três colocadas num carrinho de adereços, de onde foi retirada por Halls, que a entregou a Baldwin sem saber que estava carregada com cartuchos verdadeiros, segundo os registos da investigação.

Não há ainda certezas sobre quantos cartuchos foram disparados e um invólucro foi retirado da arma depois do acidente pela responsável pelo armeiro no local de rodagem, Hannah Gutierrez. A arma foi entregue à polícia quando chegou ao local.

A agência de notícias AFP escreveu hoje que a investigação está centrada no papel de Hannah Gutierrez, a quem coube preparar as armas para serem usadas no filme, e em Dave Halls. Não foi feita qualquer detenção ou acusação, disse um porta-voz policial citado pela AFP.

Outros acidentes como este, envolvendo balas reais em filmagens, ocorreram no passado e um deles acabou mesmo na morte do ator Brandon Lee, em 1993.