A televisão estatal iraniana noticiou esta terça-feira que um ciberataque atingiu bombas de gasolina em toda a República Islâmica, após se terem formado grandes filas em postos de combustível na capital e outras cidades, segundo a agência Associated Press.

A televisão citou um membro do Conselho de Segurança Nacional do Irão a confirmar o ataque e, segundo a AP, responsáveis do Ministério do Petróleo reuniram-se “de emergência” para resolver o problema técnico.

A distribuição de combustível foi interrompida por volta do meio-dia (09h30 em Lisboa) devido a “perturbações no sistema informático”, tinha informado antes a televisão estatal, enquanto os canais oficiais mostravam postos de gasolina fechados à medida que as filas aumentavam.

Nenhum grupo reivindicou responsabilidade pela interrupção até agora.

O Irão tem sido alvo de uma série de ciberataques, incluindo o que permitiu a divulgação em agosto de um vídeo de abusos na conhecida prisão de Evin.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A República Islâmica desligou grande parte da sua infraestrutura governamental da Internet após o vírus informático Stuxnet — considerado por muitos uma criação conjunta dos Estados Unidos e de Israel — ter danificado milhares de centrifugadoras em instalações nucleares do país no final dos anos 2000.