Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um dos maiores sismos até ao momento com magnitude 4,8 de na escala de Richter sentiu-se em La Palma, onde está ativo o vulcão Cumbre Vieja, notifica o Instituto Geográfico Nacional espanhol (IGN) citado pelo canal de televisão Antena 3.

O epicentro do sismo registou-se a sudoeste do município de Villa de Mazo, por volta das 17h25, com uma profundidade de 34 quilómetros. Durante esta terça-feira, foram detetados 59 sismos. As autoridades espanholas já tinham alertado que a atividade sísmica deve aumentar de intensidade e de frequência nos próximos dias.

Vulcão de La Palma abre nova boca eruptiva com um “impressionante rio de lava”

Esta terça-feira foi ainda reportado um novo desabamento do cone do vulcão de La Palma, que está a fazer com que uma grande quantidade de lava se desloque, principalmente em direção ao oeste, sobre o fluxo primário de lava. Esta terça-feira à tarde, o desabamento chegou mesmo a tapar momentaneamente a saída de lava.

Vulcão de La Palma entra em fase de “estabilidade e lentidão”. Alunos de volta à escola, mas com planos contraditórios

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Além disso, Miguel Ángel Morcuende, diretor técnico do Plano de Emergências Vulcânicas das Canárias, adverte que o “fim” da erupção “está longe”. “Há erupção por um tempo médio largo”, indicou.

Ao El País, o responsável explica que a emissão dióxido de enxofre aumentou substancialmente nas últimas horas, o que indica que a erupção está longe do fim, uma vez tratar-se de um dado importante para entender em que fase está o vulcão.

Durante as últimas 24 horas, a evolução da erupção foi marcada pela modificação e reconfiguração do cone principal do vulcão, de acordo com o último relatório do Departamento de Segurança Nacional espanhol (DSN) emitido às 8h00 locais (a mesma hora em Lisboa).