Os créditos a particulares continuaram a acelerar e os depósitos a desacelerar em setembro, aumentando 4,3% e 6,9% face ao mesmo mês de 2020, enquanto os empréstimos às empresas abrandaram pelo quinto mês consecutivo, divulgou esta quarta-feira o BdP.

Segundo o Banco de Portugal (BdP), “em setembro de 2021, o montante total de empréstimos concedidos aos particulares para habitação cresceu 4,3% em relação a setembro de 2020 para 96.000 milhões de euros”, após terem crescido 4% no mês anterior.

Já os empréstimos ao consumo cresceram 1,5% face a setembro de 2020, fixando-se em 19.100 milhões de euros, acelerando face ao aumento de 1,3% do mês anterior.

Em sentido inverso, o montante de depósitos que os particulares detinham em bancos residentes cresceu 6,9% em setembro face ao mesmo mês de 2020, para 169.200 milhões de euros, desacelerando relativamente aos 7,1% do mês anterior.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De acordo com o BdP, “o crescimento dos depósitos das famílias junto da banca tem apresentado uma tendência e valores próximos dos da área do euro”.

No que se refere ao montante total de empréstimos concedidos pelos bancos às empresas, cresceu 5,1% em relação a setembro de 2020, para 76.300 milhões de euros, após terem aumentado 5,3% em agosto.

O ritmo de crescimento dos empréstimos às empresas voltou a diminuir pelo quinto mês consecutivo. Ainda assim, os empréstimos às empresas têm aumentado a um ritmo superior ao observado na área do euro”, nota o banco central.

Em setembro de 2021, o montante de depósitos que as empresas detêm nos bancos residentes em Portugal cresceu 14,6% em relação a setembro de 2020, para 58.800 milhões de euros, o que compara com um aumento de 16,4% no mês anterior.

O BdP atualiza em 26 de novembro as estatísticas de empréstimos e depósitos bancários de empresas e particulares.