Israel aprovou esta quarta-feira a construção de 3.144 habitações para colonos na Cisjordânia, um dia depois dos Estados Unidos condenarem a expansão dos colonatos no território palestiniano ocupado.

O comité de planificação da administração civil deu “luz verde” definitiva à construção de 1.800 casas e aprovou ainda outras 1.344, disse à agência France-Presse um porta-voz do organismo militar encarregado dos assuntos civis nos territórios palestinianos.

As autorizações dizem respeito a colonatos de norte a sul da Cisjordânia.

O anúncio acontece um dia depois de uma declaração crítica da diplomacia norte-americana em relação à política israelita de construção nos colonatos. Washington declarou-se “profundamente preocupado”.

Trata-se de uma das posições mais firmes assumidas pelos Estados Unidos em relação à colonização israelita desde que o Presidente Joe Biden tomou posse no início do ano.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Washington reagia ao anúncio feito na segunda-feira pelo Ministério da Construção israelita do lançamento de um concurso para a construção de 1.355 outras habitações distribuídas por sete colonatos na Cisjordânia, ocupada desde 1967.

Cerca de 475.000 colonos israelitas vivem na Cisjordânia, ao lado de 2,8 milhões de palestinianos.

A colonização, ilegal face à lei internacional, tem sido uma constante de todos os governos do Estado hebreu.