Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Afinal, Lucas Hernández já não terá de cumprir pena de prisão. Esta quarta-feira, um tribunal de Madrid aceitou o recurso que o jogador francês havia apresentado e suspendeu a pena de seis meses de prisão efetiva a que este havia sido condenado.

De acordo com o jornal Marca, Lucas Hernández fica agora com uma pena suspensa de quatro anos e terá de pagar uma multa por quotas — 240 quotas diárias de 400 euros, num total que ascende aos 96 mil euros. O incumprimento destas condições, naturalmente, levará ao fim da suspensão e à imposição da pena anteriormente imposta ao jogador do Bayern Munique.

Tribunal madrileno ordena prisão de Lucas Hernández. Em 2017, o jogador e a mulher protagonizaram uma cena de violência doméstica na rua

O jogador francês, que ainda na semana passada esteve no Estádio da Luz a defrontar o Benfica num jogo da Liga dos Campeões, tinha sido notificado da necessidade de se apresentar no Tribunal Penal N.º 32 de Madrid para cumprir pena de prisão há cerca de duas semanas. Na origem da condenação estava o facto de, em fevereiro de 2017 e quando Lucas Hernández ainda estava no Atl. Madrid, o lateral ter protagonizado com a mulher uma cena de violência doméstica mútua na via pública. Na altura, um Tribunal de Madrid condenou ambos a 31 dias de trabalho comunitário, impedindo-os ainda de comunicarem durante seis meses por qualquer meio.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ainda assim, mesmo com essa decisão judicial, Lucas Hernández e a mulher foram de lua de mel no verão seguinte — já depois de terem casado nos Estados Unidos. Quando voltaram a Madrid, num voo proveniente de Miami, o jogador chegou a ser detido em pleno aeroporto mas foi colocado em liberdade horas depois. A mulher, porém, não foi detida por nunca ter sido notificada oficialmente da ordem de afastamento. Depois de comprovado o incumprimento, o Ministério Público espanhol pediu até um ano de prisão para o jogador, ao passo que os advogados do francês pediram a suspensão ou substituição da pena por trabalho comunitário: o recurso foi-lhes negado, até porque Lucas Hernández não tinha cumprido os 31 dias que lhe tinham sido indicados inicialmente, e o lateral foi mesmo condenado a seis meses de prisão.