Uma inspeção ao Complexo Municipal de Piscinas de Folgosa, na Maia, detetou a presença de legionella, bactéria que está na origem da doença do legionário, em dois chuveiros do balneário feminino, anunciou esta sexta-feira a autarquia.

Em comunicado enviado à Lusa, aquela câmara do distrito do Porto refere que o equipamento desportivo em causa está encerrado há 10 dias como medida preventiva, “após suspeitas de que poderia ser a origem de casos de [infeção por] legionella”.

Com a deteção, quinta-feira, da presença daquela bactéria em dois dos chuveiros do complexo, a autarquia, aponta o texto, “determinou a inspeção completa a todo o complexo”.

A Câmara da Maia garante ainda que o Complexo Municipal de Piscinas “só reabrirá depois de serem consideradas completamente seguras para a população”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A doença do legionário, provocada pela bactéria “Legionella pneumophila, contrai-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis) de dimensões tão pequenas que transportam a bactéria para os pulmões, depositando-a nos alvéolos pulmonares.

Bactéria “legionella” detetada em balneários de pavilhão de escola em Portalegre