Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Em certos aspectos, pode-se considerar o 911 como uma evolução do VW Carocha. Este modelo, que deu origem à VW quando foi lançado em 1938 como Type 1, acabou por servir igualmente de base para o primeiro Porsche, o 356 que surgiu em 1948, antecessor do 911 que herdou o chassi e mecânica do Volkswagen.

O novo Porsche 911 GT3, com um motor 4.0 de seis cilindros opostos que fornece 520 cv e 470 Nm de binário, anuncia um peso de 1430 kg, pelo que promete ser um osso duro de roer para o velhote VW Carocha. Isto se o mítico modelo não usufruísse de um segredo capaz de lhe reforçar a probabilidade de sucesso.

Em vez do antigo motor com quatro cilindros opostos refrigerado a ar, que na melhor das hipóteses fornecia 1600 cc e 60 cv, instalou na traseira o motor de um Tesla Model S, com 450 cv e 675 Nm de força. O transformador não divulgou a capacidade da bateria, mas como o peso final ronda 1050 kg, num modelo que em 1972 anunciava 840 kg, o pack de baterias não poderá ser muito grande.

Na prova de arranque até ao ¼ de milha (402 metros), o Carocha perde por pouco, ao patinar excessivamente no momento do arranque, por não possuir de sistema de controlo de tracção, mas vence o Porsche nos dois arranques seguintes, pelo que o VW de 1972 sagra-se vencedor. Veja aqui como tudo aconteceu, neste comparativo da Carwow:

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR