Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um bebé que nasceu depois de uma gravidez de apenas 21 semanas e um dia, com um peso de 420 gramas, tornou-se no recém-nascido mais prematuro do mundo a sobreviver.

Curtis Means nasceu no estado do Alabama, nos Estados Unidos, no dia 5 de julho de 2020, cerca de 19 semanas antes da data prevista numa gravidez normal (40 semanas). A sua irmã-gémea, C’Asya, morreu um dia depois do nascimento, de acordo com a BBC.

O bebé prematuro foi encaminhado para os cuidados intensivos logo após o nascimento, e ficou no hospital durante nove meses (275 dias), onde esteve ligado a ventiladores durante três meses, e teve de ser ensinado a respirar e usar a boca para comer por terapeutas. Contudo, apesar de todas as previsões apontarem para que não sobrevivesse (os médicos davam-lhe menos de 1% de probabilidade de sobreviver), o recém-nascido acabou por receber alta e sair do hospital.

A mãe do bebé, Michelle Butler diz que vai “lembrar-se para sempre” do momento em que pôde “levar Curtis para casa” e surpreender os seus três filhos mais velhos, que esperavam o seu irmão mais novo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Agora com um ano e quatro meses, Curtis encontra-se bem de saúde, de acordo com os médicos, mas ainda precisa de assistência para respirar e comer (alimenta-se através de um tubo). O Dr. Brian Sims, médico neonatalogista que supervisionou o parto, revelou o seu espanto para com a situação ao Guiness World Records:

“Estou a fazer isto há quase 20 anos, mas nunca vi um bebé tão novo ser tão forte como ele era. Havia algo de especial no Curtis”, disse o médico.

O recorde anterior pertencia a Richard Hutchinson, que nasceu com 21 semanas e dois dias, em junho de 2020, no Wisconsin.