Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O jornalista norte-americano Danny Fenster foi considerado culpado de violar a lei de imigração, associação ilegal e incentivo à dissidência contra os militares, tendo sido condenado em Myanmar (antiga Birmânia) a 11 anos de prisão noticia a BBC. O julgamento feito por um tribunal militar dentro da prisão foi fechado ao público, acrescenta o Washington Post.

A pena de Fenster, de 37 anos, pode não acabar aqui. Esta semana viu as suas acusações aumentarem para sedição e terrorismo, crimes que podem valer prisão perpétua e sobre os quais será julgado a partir de 16 de novembro.

O norte-americano foi detido no aeroporto internacional de Yangon em maio quando ia para Kuala Lumpur e levado para a cadeia de Insein. Na altura, era editor executivo do site Frontier Myanmar e, segundo a BBC, já tinha também trabalhado no site de notícias Myanmar Now, considerado um meio de comunicação proibido que tem criticado os militares desde o golpe de Estado.

Fenster junta-se assim a muitos jornalistas locais — mais de 100 — detidos desde o golpe militar, em fevereiro. Dezenas continuam presos. O japonês Yuki Kitazumi, acusado de espalhar notícias falsas e o norte-americano Nathan Maung, que foram também detidos, conseguiram entretanto ser libertados; o primeiro a pedido do Japão.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR