Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os alemães adquiriram apenas 1797 veículos desportivos em Outubro, o que representa uma queda de 33,6% face a ao mesmo período de 2020. A redução do volume de vendas destes modelos de sonho, com potências tão elevadas quanto os seus preços, ganha outra dimensão se pensarmos que, ainda em Maio, os germânicos adquiriram 3200 veículos deste segmento, o que representa uma redução de 44% em apenas cinco meses.

A jogar em casa, não se estranha que o Porsche 911 continue a ser o modelo mais vendido. No entanto, a realidade é um pouco mais sombria, sobretudo se tivermos em consideração que, em Maio, as vendas estavam bem acima dos 1000 exemplares, mas em Outubro apenas foram colocadas no mercado 690 novas unidades. O segundo mais vendido no passado mês foi o BMW Z4, com somente 243 novas matrículas, seguido pelo 3º do ranking, o Audi TT, com 166 veículos.

Os desportivos que registaram as perdas maiores foram o Jaguar F-Type, com 24 unidades, o que corresponde a uma queda de 80,8%, seguido do Mercedes-AMG GT, com 54 veículos, menos 62,5%, e o Mercedes Classe E Coupé, com menos 55,2%, apesar de ter comercializado 145 carros novos, se bem que com preço mais acessível.

A crescer dentro deste exclusivo segmento surge o Ferrari F8, sempre um valor seguro, que vendeu mais 257,2%, seguido do Aston Martin V8, que cresceu 237,2%.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR