Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O jornalista norte-americano Danny Fenster, que estava desde maio detido numa cadeia em Myanmar foi libertado e está de regresso aos EUA, noticiou o The Washington Post citando o antigo diplomata Bill Richardson, que foi pessoalmente ao país para tentar assegurar a libertação do jornalista. Em comunicado, a família do jornalista já disse estar “felicíssima” com a notícia.

Fenster, diretor da revista Frontier Myanmar, tinha sido detido em maio, no aeroporto internacional de Yangon, quando estava a embarcar num voo para Kuala Lumpur. Foi levado para a prisão de Insein, uma cadeia com péssimas condições para onde foram levados prisioneiros políticos após o golpe de Estado no país.

Na semana passada, Fenster foi condenado a 11 anos de prisão por violar a lei de imigração, associação ilegal e incentivo à dissidência contra os militares que em fevereiro tiraram o poder das mãos de Aung San Suu Kyi.

Mas numa missão humanitária de iniciativa privada, o antigo diplomata Bill Richardson conseguiu um encontro com o general Min Aung Hlaing, que é o líder dos militares no poder. Nessa conversa, Richardson terá conseguido persuadir o responsável a libertar o jornalista de 37 anos, nascido em Detroit, que irá viajar para o Qatar e, depois, voar para perto da família nos EUA.

Jornalista norte-americano condenado a 11 anos de prisão em Myanmar

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Quando foi detido, era editor do site Frontier Myanmar mas, segundo a BBC, também já tinha trabalhado no site de notícias Myanmar Now, considerado um meio de comunicação proibido que tem criticado os militares desde o golpe de Estado. Mais de 100 jornalistas de várias nacionalidades foram detidos no país desde o golpe militar, em fevereiro – dezenas continuam presos.