Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Toyota baptizou-o GR Supra, mas esta versão do desportivo japonês é assustadora e a vários níveis. Não pelas suas formas, que apresentam semelhanças evidentes com o agressivo coupé de dois lugares da marca, concebido sobre o chassi e mecânicas do BMW Z4, mas pela impressionante potência e tremenda capacidade de aceleração, qualquer uma delas difíceis de imaginar.

O monstro em causa é um dragster da categoria Funny Car, a segunda mais rápida, depois dos Top Fuel. Ambos montam motores V8 com 8,2 litros e soprados por um gigantesco compressor volumétrico, destinado a fornecer o ar suficiente para queimar cerca de 57 litros (por cada arranque de ¼ de milha) de uma explosiva mistura composta por 90% de nitrometano e 10% de metanol. O resultado salda-se em cerca de 8000 cv, uma monstruosidade que só assistindo a uma competição de Funny Cars se consegue avaliar verdadeiramente.

Todo este cocktail mecânico, extremamente simples (nem caixa de velocidades tem), é depois coberto por uma carroçaria em fibra de carbono que é capaz de fazer lembrar um veículo de série, no caso, um Toyota GR Supra. A diferença para os modelos que disputam a Top Fuel reside na colocação do motor (atrás nesta última para aumentar o peso sobre o eixo motriz e à frente nos Funny Cars) e na carroçaria, que é mais comprida e afilada nos Top Fuel, o que os torna mais velozes e, por isso mesmo, mais rápido.

A Toyota tem bastante experiência nos dragsters, tendo já vencido nas duas categorias mais rápidas, pelo que o GR Supra será o próximo modelo candidato a vencer nos Funny Cars. Para o fazer, este tipo de veículo tem de ser capaz de devorar o ¼ de milha em menos de 4,6 segundos e cruzar a linha de chegada a mais de 330 mph, cerca de 530 km/h. Neste vídeo pode ter uma ideia da capacidade de aceleração destes monstros:

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR