Uma comissão da Assembleia Geral da ONU adotou esta quarta-feira uma série de resoluções não vinculativas condenando as violações dos direitos humanos na Coreia do Norte, que Pyongyang já rejeitou “categoricamente”.

Aprovada sem votação, a resolução sobre a Coreia do Norte, apoiada por membros europeus da ONU, “condena nos termos mais veementes as violações sistemáticas, generalizadas e flagrantes dos direitos humanos cometidas há muito e ainda hoje” naquele país.

Em comunicado, a missão diplomática da Coreia do Norte na ONU “rejeitou categoricamente” a resolução dos europeus.

A resolução sem base nada mais é do que uma tentativa, sem sentido, por forças hostis para alterar a imagem da Coreia do Norte ainda vitoriosa e derrubar nosso sistema socialista”, refere o comunicado norte-coreano.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Entre as outras resoluções aprovadas pela terceira comissão da ONU, especializada em direitos humanos, e que será posteriormente ratificada pela Assembleia Geral da ONU, foi também aprovado o texto relativo à Birmânia e à situação das minorias no país, proposto pela Arábia Saudita, aprovada sem o voto dos 193 membros.

A resolução sobre o Irão, proposta pelo Canadá, foi adotada por 79 votos, 30 países votaram contra e 71 abstiveram-se. Em relação à situação dos direitos humanos na Crimeia e em Sebastopol, a resolução apoiada em particular pelos países europeus e pelos Estados Unidos, foi aprovado por 64 países, com 20 votos contra e 93 abstenções.