Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Já se previa um dérbi intenso, disputado e com incerteza até ao limite mas, no final, o dérbi acabou por ter muito mais do que isso num ambiente eletrizante no Pavilhão João Rocha que passou em alguns momentos os limites e que teve continuidade já depois do apito final, com o Benfica a contestar através de comunicado uma série de episódios que “envergonham o futsal, a Federação [Portuguesa de Futebol, que organizada a prova], os responsáveis pela arbitragem e os adeptos do Sporting”, como fez questão de frisar.

Sporting vence Benfica no primeiro dérbi da época e sobe à liderança do Campeonato de futsal

“Foi uma lamentável noite de ‘Vale Tudo’ que em nada dignifica a modalidade e o espírito desportivo que deve sobrepor-se a qualquer rivalidade”, aponta a missiva, entre vários episódios concretos do sucedido.

“Num jogo extremamente equilibrado, a arbitragem voltou a assumir um protagonismo que se repudia. Vários lances de análise clara foram decididos em sentido contrário, com sistemático prejuízo para o Benfica. O cúmulo de uma arbitragem enviesada está expresso no quarto golo do Sporting, com o nosso jogador Robinho a ser empurrado pelas costas sem que fosse assinalada qualquer falta”, apontou, num jogo que teve dois cartões vermelhos (a Pauleta direto na primeira parte, a Rómulo por acumulação de amarelos no segundo tempo) e vários lances contestados pelos dois lados por faltas não assinaladas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Num jogo com duas grandes equipas de futsal assistimos a um coro arruaceiro de insultos, provocações e intimidações que duraram a partida toda. Como é que, mais uma vez, os adeptos do Sporting partem o vidro que está por detrás do banco de suplentes do Benfica, ferindo inclusive um dos nossos jogadores? Cumpre-nos igualmente perguntar: este comportamento e os constantes insultos por parte dos adeptos do Sporting vão ficar uma vez mais impunes?”, prosseguiu sobre o momento após o empate a dois na segunda parte com golo de Alex Merlim que levou à paragem de alguns minutos do encontro.

“Reprovável a carga policial sobre os adeptos do Benfica. O clube vai requerer às autoridades competentes explicações quanto aos fundamentos que levaram a esta decisão gravosa para com a integridade física dos nossos adeptos. Uma última palavra para a transmissão televisiva do canal 11. Sem repetições, sem imagens e sem comentários no momento quanto a tudo o que acima foi referido, em contraponto com outros comentários que não dignificam em nada o desporto”, concluiu o comunicado do Benfica.