Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

LeBron James é há vários anos um jogador em destaque na NBA, ou não fosse para muitos, além do melhor jogador do mundo durante muito tempo, o melhor basquetebolista da história. Na última noite, no entanto, o destaque acabou de ser pela negativa, quando LBJ, numa disputa de um ressalto, acertou de forma dura no jogador Isaiah Stewart, jogador dos Detroit Pistons. O lance aconteceu no terceiro período do jogo em que os Lakers (equipa de LeBron) visitaram o pavilhão do conjunto do Michigan.

Foi a nove minutos do final do terceiro quarto que tudo aconteceu. Os Lakers perdiam nessa altura e num lance livre LeBron acertou em Stewart. O jogador dos Pistons não gostou e quis o número 6 da equipa de Los Angeles, partindo para cima do adversário e, passados poucos segundos, tentava ultrapassar a sua equipa, o staff e chegar aos atletas da equipa de LA.

LeBron pediu imediatamente desculpa por ter feito um box out demasiado agressivo, mas quando Isaiah se levantou do chão e percebeu que estava a sangrar a confusão instalou-se…

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

E quando a situação parecia já mais controlada, o jogador dos Pistons voltou a correr na direção de LeBron, mas acabou por ser impedido novamente. Acabou por levar duas faltas técnicas e foi assim para o balneário. O mesmo aconteceu com LeBron James, a quem foi assinalada uma falta flagrante de tipo 2. Ou seja, das mais graves.

Os Lakers, sem a sua maior estrela, acabaram por virar o resultado e venceram por 121-116. No final do encontro, vários atletas dos Lakers comentaram a situação. O craque Anthony Davis, que acabou o encontro com excelentes números (30 pontos, dez ressaltos, seis assistências, quatro roubos de bola e cinco desarmes de lançamento), frisou que “toda a gente na liga sabe que LeBron não joga sujo”. “Quando acertou no adversário olhou logo com cara de ‘desculpa, não queria fazer isto’. Não sei o que ele [Stewart] estava a tentar fazer, mas ninguém da nossa equipa ia permitir alguma coisa. Vamos proteger o nosso irmão [LeBron], até porque não foi de propósito”, reforçou o poste dos Lakers.

DeAndre Jordan, também poste da equipa da California, destacou que o frisson como que ajudou os jogadores: “A confusão  poderia ter resultado em duas coisas: acabar connosco ou unir-nos. Acho que foi exatamente isso, uniu a equipa. Poderíamos ter perdido, mas não aconteceu. Continuámos a lutar e sabíamos que com o LeBron fora do jogo tínhamos de ser mais intensos”.

O treinador Frank Vogel, na mesma linha, destacou que “os jogadores fizeram um bom trabalho a proteger um colega de equipa, mas tentando não piorar a situação”. “Senti que os nossos jogadores quiseram pacificar a situação e enquanto isso fizeram obviamente uma parede à frente do colega”, disse o técnico dos Lakers.