Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O membro do Congresso norte-americano Thomas Massie publicou no Twitter uma foto de Natal com a sua família, onde cada um posa com uma arma — entre as quais se vê metralhadoras — poucos dias depois de quatro adolescentes serem mortos num tiroteio numa escola no Michigan. Na legenda, o republicano escreveu “Feliz Natal! Ps. Pai Natal, por favor, traz munições”.

Pais de adolescente que matou alunos no Michingan dizem-se inocentes, mas têm fiança de um milhão

A publicação está a ser criticada pelas famílias afetadas pela violência armada, além de figuras de ambos os espetros políticos. Fred Guttenberg, cuja filha Jaime foi morta num tiroteio numa escola na Flórida, em 2018, respondeu ao tweet, partilhando “a última foto” da filha ao lado da foto da lápide da mesma.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Contactado para comentar, Thomas Massie ainda não respondeu às críticas, adianta a CNN, limitando-se, até agora, a partilhar mensagens de apoio. Entre os vários nomes do lado conservador que defendem o deputado está a representante do Colorado e defensora da lei das armas, Lauren Boebert, que elogiou a publicação. “Este é o meu género de postal de Natal”, reagiu. Por sua vez, o republicano Jose Castillo escreveu “Tudo o que eu quero no Natal são … mais políticos eleitos como Thomas Massie”.

Contudo, algumas figuras do partido republicano criticaram a fotografia, tais como Anthony Scaramucci, diretor de comunicações do ex-presidente Donald Trump, afirmando que financiaria quaisquer candidatos que concorressem contra Massie nas próximas eleições.

Intitulando a publicação de “vergonhosa”, o deputado democrata dos EUA, John Yarmuth sublinhou que “agora eles [republicanos] esfregam abertamente o assassinato de crianças nas nossas caras como se marcassem um touchdown“.

Thomas Massie é um defensor da Segunda Emenda — o direito de ter e transportar armas — e sempre se opôs a quaisquer iniciativas de controlo de armas. Em abril, apresentou um projeto de lei para diminuir a idade de compra de armas de 21 para 18 anos.