Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“Procedi mal. Devia ter avaliado a situação com mais cuidado”. Foram estas as palavras que Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia, usou esta quarta-feira para pedir desculpas públicas por ter ido a uma discoteca após um contacto de risco com o ministro dos Negócios Estrangeiros, infetado com Covid-19, numa entrevista à televisão pública finlandesa Yle.

Uma foto publicada por uma revista expôs a ida à discoteca de Sanna Marin na noite do último sábado. A primeira-ministra finlandesa admitiu que decidiu não interromper a saída mesmo depois de receber um telefonema de um secretário de Estado a informá-la da infeção do ministro dos Negócios Estrangeiros, com quem tinha estado numa reunião do Conselho de Ministros no dia anterior (sexta-feira).

Na Finlândia, as pessoas com a vacinação completa não são obrigadas a cumprir isolamento após o contacto com um caso positivo. “Ele [secretário de Estado] disse-me que os ministros não seriam colocados em quarentena porque todos tinham as duas doses da vacina“, explicou Marin na sua conta de Facebook, na segunda-feira.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Contudo, de acordo com o jornal Helsingin Sanomat, há diretrizes específicas para os membros do governo, aos quais é recomendado evitar os contactos imediata e voluntariamente após exposição ao coronavírus. Confrontada pelos jornalistas com esta informação, a primeira-ministra afirmou que não recebeu esta orientação e responsabilizou-se pela falha de comunicação.

Outros membros do governo finlandês estão também envolvidos nesta polémica por não abdicarem de convívios sociais para travar a propagação do vírus, como o ministro da Defesa, Antti Kaikkonen, que no sábado foi a um jantar — um evento a que faltaram os ministros das Finanças e da Ciência e Cultura, precisamente para evitar riscos de contágio.

Desde então, a primeira-ministra finlandesa fez dois testes à Covid-19 e ambos tiveram resultado negativo.