Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O teórico da conspiração e radialista norte-americano Alex Jones foi esta sexta-feira condenado a pagar uma indemnização punitiva no valor de 45,2 milhões de dólares à família de uma criança que morreu num tiroteio, em 2012, na escola básica de Sandy Hook, nos EUA.

EUA. Teórico da conspiração Alex Jones condenado a pagar indemnização milionária a família por alegar que tiroteio em escola foi embuste

O radialista de extrema-direita considerou sempre o tiroteio como sendo um “embuste”. O veredicto proferido esta sexta-feira pelo júri é o segundo no julgamento de Alex Jones, que esta quinta-feira já tinha sido condenado a pagar 4,1 milhões de dólares (cerca de 4 milhões de euros) à família.

A indemnização punitiva destina-se não a reparar os danos, mas a punir financeiramente o condenado para impedir que Alex Jones repita a sua ofensa, noticia a BBC.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em tribunal, um advogado dos pais da criança que morreu no ataque pediu que fosse enviada uma mensagem “muito, muito simples: pare, Alex Jones”. “Parem com a monetização de desinformação e mentiras. Por favor”, acrescentou.

Os representantes da família da vítima acusaram ainda o radialista norte-americano de tentar esconder evidências e argumentaram que o mesmo tinha cometido perjúrio quando negou ter enviado quaisquer mensagens sobre o tiroteio de Sandy Hook.

De acordo com a BBC, este foi o primeiro de três julgamentos de familiares de vítimas do ataque contra Alex Jones, que classificou durante anos o tiroteio como uma encenação por parte de grupos que defendiam uma maior regulação do direito à posse de armas nos EUA.

O teórico da conspiração já perdeu casos de difamação movidos por pais das vítimas à revelia depois de não apresentar documentos e depoimentos, porém, este foi o primeiro julgamento em que danos financeiros foram acordados por um júri.