Enquanto por cá é delineado um plano para a nova linha de alta velocidade, que deverá colocar Lisboa e Porto a pouco mais de uma hora de distância na próxima década, Espanha espera conseguir viajar entre Saragoça e Berlim em menos de três horas. Pelo menos é esse o objetivo do Centro Europeu Hyperloop (EHC, nas sigla em inglês), que pretende juntar a cidade espanhola à capital alemã e a Amesterdão — no total, deverão existir dez estações iniciais.

A distância entre Saragoça e Berlim ultrapassa os dois mil quilómetros e, de carro, pode demorar cerca de 22 horas. Assim, o novo transporte de alta velocidade, anunciado em 2012 por Elon Musk, deverá estar pronto em terreno europeu, segundo o jornal El Espanhol, nos próximos dez anos. Esta pode ser um revolução no setor dos transportes, já que as cápsulas que estão agora a ser construídas podem alcançar os 1.000 quilómetros por hora.

1078 km/h. Hyperloop arranca na Índia em 2020

Estes planos foram revelados durante a Semana Europeia da Mobilidade, momento em que foi sublinhado que será possível triplicar a velocidade dos atuais comboios e, paralelamente, reduzir as emissões de dióxido de carbono. Será então possível “alcançar, em apenas 30 minutos, uma distância de 300 quilómetros”, explicou Jorge Azcón, presidente da cidade de Saragoça. E acrescentou as vantagens imediatas deste novo transporte: “Aumento da segurança, ao ser reduzido o transporte por carro, redução do consumo energético, fim das emissões de efeito de estufa e a eliminação de ruídos e vibrações”.

Esta tecnologia, idealizada por Elon Musk, deu os primeiros passos na Europa em 2018, mais especificamente em Toulouse, França. A diferença entre estes novos meios de transporte e os comboios tradicionais está, sobretudo, no sistema de transporte de passageiros. Não são carruagens tradicionais, mas sim tubos, com quatro metros de diâmetro, cujo sistema será adaptado para passageiros e mercadorias.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR