“Empate? “Não, queremos ganhar. Vamos fazer tudo por isso. Estamos a preparar o encontro da melhor maneira para conseguirmos os três pontos”. Se num plano meramente teórico o grupo H estava resumido aos 18 pontos do PSG e à luta entre Juventus e Benfica pelo segundo lugar, o bom arranque de temporada dos encarnados e o triunfo em Turim reforçou uma esperança de desafiar o impossível que sempre esteve presente entre os jogadores do conjunto da Luz mesmo que não manifestada em termos públicos. Era por isso que, num jogo com pouco a perder e muito a ganhar, com a certeza de que qualquer resultado não ia fechar as contas da liderança e também não tiraria a equipa dos lugares de apuramento para a fase seguinte, Enzo Fernández enchia o peito naquele típico tom quase desafiador dos atletas sul-americanos.

Benfica consegue empate com PSG na Luz e mantém liderança partilhada do grupo na Champions

“Sinto-me muito bem. Quando voltei da seleção senti algum cansaço mas recuperei. Amanhã [esta quarta-feira] será 50/50. O favorito será o PSG mas faremos de tudo para conseguir a vitória. Presença na seleção? Foi um momento muito feliz da minha vida. Cumpri um sonho de menino, sonhamos sempre em jogar pela nossa seleção. Estou muito feliz. Segredos para conseguir levar a melhor? A concentração, a atitude, a vontade”, comentara na antecâmara do duelo o médio argentino, um dos grandes destaques do Benfica esta época que entrava na terceira jornada da Champions como o elemento com mais faltas da prova mas também o quarto com mais recuperações, em nova prova de como as operações passavam todas por ali.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.