A HP, conhecida pelos computadores, anunciou que vai reduzir o número de trabalhadores ao longo dos próximos três anos, devido ao arrefecimento do mercado de compra de PC. A companhia, que revelou resultados esta terça-feira à noite, explicou que poderá ter de despedir entre 4 e 6 mil pessoas, o equivalente a cerca de 10% do atual total de 61 mil trabalhadores.

A fabricante de computadores e impressoras explicou que com estes despedimentos e outros processos de transformação tem como objetivo chegar em 2025 a uma poupança de 1,4 mil milhões de dólares. Para fazer estes cortes e outras mudanças, a HP antecipa custos de cerca de mil milhões de dólares. O CEO não espera que haja uma inversão do atual contexto desafiante que a empresa enfrenta, daí a apresentação deste plano de “transformação”. “Achamos que, neste ponto, é prudente não assumir que o mercado se vá transformar ao longo de 2023”, disse Enrique Lores, CEO da HP, citado pelo Wall Street Journal.

Contactada pelo Observador para perceber se este anúncio de despedimentos poderá ter consequências em Portugal, a HP Portugal indica que não tem qualquer comentário adicional a fazer sobre o anúncio da casa-mãe.

Na apresentação de resultados do trimestre, a HP revelou um recuo das receitas de 11,2% em termos homólogos para 14,8 mil milhões de dólares e um prejuízo de 2 milhões de dólares no trimestre, que compara com os 3,1 mil milhões de lucros de há um ano.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.