A anunciada greve de tripulantes de cabine da TAP nos dias 8 e 9 de dezembro fez com que a empresa decidisse cancelar 360 voos. Segundo a presidente executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, há 50 mil passageiros que vão ser afetados pelos cancelamentos e o resultado será uma perda de oito milhões de euros em receitas.

TAP permite alteração das datas de voos marcados para 8 e 9 de dezembro

“[O sindicato] decidiu manter a assembleia no dia 6 de dezembro, dois dias antes da greve. […] Qualquer que seja a decisão do sindicato, e por causa da dimensão da TAP, será tarde para fazer algo devidamente organizado. Por isso tomámos a decisão de cancelar 360 voos, nos dias 8 e 9 de dezembro”, disse a presidente executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, em conferência de imprensa, na sede da companhia aérea.

A responsável disse que a decisão não tinha sido “fácil”, mas permitirá à companhia trabalhar com parceiros para encontrar alternativas para os clientes que tinham voos marcados para os dias de greve.

Questionada se acredita que o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) cancele a greve, depois da assembleia-geral de dia 6, a responsável disse que “neste momento” pensa que não.

A companhia aérea adiantou ainda que a greve terá um impacto de cerca de oito milhões de euros de receitas perdidas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR