829kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Incêndios no Havai continuam a consumir ilha Maui. Há 80 mortos

Este artigo tem mais de 6 meses

Os incêndios no arquipélago do Havai continuam a desvastar a ilha de Maui. Já há registo de 80 vítimas mortais, no último balanço realizado. Cônsul português diz que há lusodescendentes desaparecidos.

epa10792531 A handout photo made available by Carter Barto shows an arial view of buildings damaged in Lahaina, Hawaii as a result of a large wildfire which has killed 6 people and forced thousands of evacuations on the island of Maui in Hawaii, USA, 09 August 2023. Winds from Hurricane Dora, which is currently over the Pacific Ocean hundreds of miles south of Hawaii, have intensified the wildfires.  EPA/CARTER BARTO / HANDOUT  HANDOUT EDITORIAL USE ONLY/NO SALES
i

CARTER BARTO / HANDOUT/EPA

CARTER BARTO / HANDOUT/EPA

Já é dado como “o maior desastre natural” na história do Havai. O número de vítimas mortais provocadas pelos incêndios na ilha de Maui, no arquipélago, continua a aumentar. No último balanço de sexta-feira registam-se 80 mortos, ultrapassando as vítimas do tsunami de 1960, que matou 61 pessoas.

Em declarações à RTP3, Tyler dos Santos-Tam, cônsul honorário de Portugal no Havai, admitiu este sábado que há lusodescendentes desaparecidos, ainda que as autoridades locais ainda não tenham divulgado a lista de vítimas.

“É uma situação triste e difícil”, declarou o responsável em declarações à RTP 3.

Já ontem Josh Green, governador do Havai, citado pelo The Guardian, dizia que “o que vimos foi catastrófico. A extensão da destruição de Lahaina [cidade histórica e turística da ilha de Maui] é chocante. Parece que uma bomba arrasou tudo”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Joe Biden, Presidente norte-americano, declarou o estado de emergência e aprovou “ajuda federal” para as áreas afetadas. Segundo a CNN, esta assistência pode incluir alojamento temporário, reconstrução de casas, empréstimos e outros programas para ajudar as famílias. Reconstruir a ilha poderá levar vários anos e custar mais de mil milhões de dólares.

Segundo a Reuters, o incêndio de Lahaina que avançou do mato para a cidade está ainda ativo, mas 85% já em contenção, indicou o condado. Há outros dois incêndios na ilha de Maui, mas um deles, em Kanapali, já foi dado como contido a 100%.

Três dias depois dos incêndios terem começado não está ainda claro se os residentes receberam algum tipo de aviso antes do fogo atingir as suas casas. A ilha tem sirenes de emergência para alertar mas, escreve a Reuters, não terão soado durante o alastrar do fogo. O governador do Havai garante que já autorizou uma avaliação global para apurar o que se terá passado.

À Rádio Observador, Audrey Rocha, luso-descendente e da Associação Portuguesa de Maui, indicou que o condado de Muai autorizou pessoas de Lahaina a regressarem para verem as suas casas, “muitos dos quais queimados, não resta nada”. Tudo desapareceu, acrescenta. “Não resta nada”. Em Lahaina, diz, havia história portuguesa, mas os vestígios desapareceram.

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Para continuar a ler assine o Observador
Apoie o jornalismo independente desde 0,18€/ dia
Ver planos
Já é assinante?
Apoio a cliente

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Apoie o jornalismo. Leia sem limites. Apoie o jornalismo. Leia sem limites.
Desde 0,18€/dia
Apoie o jornalismo. Leia sem limites.
Apoie o jornalismo. Leia sem limites. Desde 0,18€/dia
Em tempos de incerteza e mudanças rápidas, é essencial estar bem informado. Não deixe que as notícias passem ao seu lado – assine agora e tenha acesso ilimitado às histórias que moldam o nosso País.
Ver ofertas