Siga aqui o nosso liveblog sobre a guerra na Ucrânia

As novas promessas de ajuda à Ucrânia abrandaram drasticamente no meio de conflitos políticos na Europa e Estados Unidos, caindo para o nível mais baixo desde o início da guerra, anunciou esta quinta-feira um instituto alemão.

“O ímpeto de apoio à Ucrânia está a abrandar”, disse o Instituto Kiel, num estudo em que lista a ajuda militar, financeira e humanitária prometida e entregue à Ucrânia desde a invasão russa em 24 de fevereiro de 2022.

Segundo o instituto de investigação alemão, as promessas de ajuda atingiram o nível mais baixo entre agosto e outubro, em plena contraofensiva ucraniana.

Nesse período, registou-se “uma queda de quase 90% em comparação com o mesmo período em 2022″, disse o instituto, citado pela agência francesa AFP.

Desde o início da guerra desencadeada pela invasão russa, a Ucrânia tem contado com a ajuda financeira e fornecimento de armamento por parte dos aliados ocidentais.

As forças ucranianas lançaram uma contraofensiva em junho com resultados modestos que atribuíram ao atraso nas entregas de armamento.

Os republicanos bloquearam na quarta-feira a aprovação no Senado dos Estados Unidos de um projeto orçamental de cerca de 97.500 milhões de euros, que inclui verbas para apoiar a Ucrânia e Israel.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Kremlin espera que Congresso dos EUA pare de “queimar dinheiro dos contribuintes” e que bloqueie ajuda a Kiev

Horas antes, o Presidente norte-americano, Joe Biden, advertira que o desbloqueio de fundos para a Ucrânia não poderia esperar mais.