O Bloco de Esquerda quer que a Câmara Municipal do Porto crie um programa local de espaços de calor para responder às necessidades da população sem-abrigo e à pobreza energética.

Na proposta, a que a Lusa teve esta acesso, o vereador do BE, Sérgio Aires, afirma que estes espaços de calor são “uma resposta importante e inovadora para fazer face aos desafios que coloca o aumento da pobreza e da pobreza energética”.

“Um espaço de calor é um local comunitário onde as pessoas podem encontrar um ambiente seguro, acessível e aquecido durante o dia para ajudar a reduzir os custos de aquecimento das suas próprias casas e para apoiar aqueles que enfrentam extrema pobreza durante o inverno”, esclarece o vereador, na proposta que será discutida segunda-feira na reunião do executivo.

Destacando que vários países têm criado estes espaços de calor, como o Reino Unido, Austrália, Estados Unidos da América (EUA), Alemanha ou Canadá, o vereador defende ser “uma oportunidade para uma experiência pioneira no país a partir da cidade do Porto”.

Segundo a proposta do BE, estes espaços podem distribuir-se por diversos locais da cidade, como “centros comunitários, bibliotecas, espaços religiosos e outros edifícios públicos acessíveis”.

Além de locais de “abrigo e aquecimento” durante os meses frios, estes espaços visam oferecer “refeições quentes, bebidas e calor às comunidades locais”, bem como apoio emocional e comunitário.

Estes espaços podem resultar de parcerias e colaborações com instituições locais, empresas e organizações não governamentais, e envolver campanhas de sensibilização aos cidadãos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR