A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar a morte de um homem de 63 anos encontrado num apartamento destruído por um incêndio que ocorreu durante a madrugada em Vila Real de Santo António, disse fonte policial.

Em declarações à Lusa, a mesma fonte adiantou que foi aberta uma investigação para determinar as circunstâncias em que ocorreu a morte e o incêndio que destruiu o apartamento naquela cidade do distrito de Faro.

De acordo com o Comando Sub-regional do Algarve da Proteção Civil o alerta para o fogo foi dado por volta da 1h20, via 112, tendo sido encontrada uma vítima mortal, tendo o incêndio provocado igualmente cinco desalojados.

Também em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara de Vila Real de Santo António, Álvaro Araújo, avançou que a autarquia disponibilizou alojamento aos cinco desalojados, mas estes recusaram. “São cinco pessoas que recusaram o alojamento disponibilizado pelo município e ficaram em casa de um familiar”, sublinhou.

Segundo Álvaro Araújo, a vítima mortal é de Vila Real de Santo António e “conhecida de toda gente”, mas não residiria naquele apartamento e sim na zona das Hortas. “A informação que tenho, ainda não confirmada, é de que a pessoa não residiria naquela habitação e, até por isso, é estranho que lá tenha aparecido”, apontou.

Segundo a Proteção Civil, nas operações de combate ao fogo e de assistência estiveram envolvidos um total de 23 operacionais das corporações dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António e de Castro Marim, da Proteção Civil Municipal, do Instituto Nacional de Emergência Médica(INEM), da PSP, PJ e da empresa E-Redes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR