Siga aqui o nosso liveblog sobre a política nacional

O porta-voz do Livre Rui Tavares indicou nesta terça-feira que o PS aceitou reunir-se com o seu partido para pensar futuras convergências à esquerda, mas a reunião não tem ainda data definida, nem deverá trazer novidades sobre possíveis alianças para as autárquicas.

Em declarações aos jornalistas após o encontro com o PAN na sede do Livre para analisar a situação política e pensar as eleições autárquicas de 2025, Rui Tavares confirmou que os socialistas já deram resposta ao apelo do seu partido e que, apesar de não haver ainda uma data, a mesma será realizada “a breve tempo”.

Rui Tavares sublinhou que, apesar do foco do “comentário político e até jornalístico” destas reuniões serem as próximas autárquicas, estes encontros servem também para fazer “um balanço da situação política portuguesa e europeia”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Há novidades importantes que nós devemos avaliar e que certamente iremos avaliar nas reuniões futuras, como por exemplo a vitória que a nova Frente Popular teve em França e que nós interpretamos como muito positiva, como um sinal de esperança para a política europeia“, afirmou o porta-voz do Livre.

França. Pedro Nuno considera que resultado mostra que Europa não virou à direita

O deputado acrescentou que não é possível para já “antecipar nada sobre autárquicas”, não só porque as reuniões ainda não ocorreram como também “mesmo depois dessas reuniões” não deverá haver já novidades.

O encontro desta terça-feira entre o PAN e o Livre foi o segundo de quatro reuniões do partido de Rui Tavares com os partidos de esquerda, faltando ainda reunir com o PCP — que se realizará na próxima segunda-feira, dia 15 — e o PS cuja data está por acordar.

Após o encontro com o Bloco de Esquerda, Livre e bloquistas mostraram-se abertos a convergências à esquerda nas eleições autárquicas do próximo ano, incluindo em Lisboa, para derrotar o atual executivo PSD/CDS-PP liderado por Carlos Moedas.

Do lado do PCP, que ainda não reuniu com o Livre, foi já fechada a porta de qualquer convergência autárquica com o PS.