"Não é possível retrocesso no combate à corrupção" /premium

O diretor do DCIAP não abre o jogo sobre o seu futuro mas concorda que dois mandatos sem renovação é uma boa solução. Defende a colaboração premiada e diz que está a cooperar com a Justiça angolana.

Por Luís Rosa, João Porfírio