Dark Mode 197kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia
i

Getty Images/iStockphoto

Getty Images/iStockphoto

Bebidas vegetais: para quem, como e porquê?

As bebidas vegetais chegaram para ficar e há cada vez mais pessoas a incluí-las na sua lista de compras. E não são apenas as que seguem uma dieta vegan. Aprenda a fazer uma boa escolha.

O universo das bebidas vegetais é vasto e continua em crescimento. O motivo? A enorme procura por estes produtos alimentares, muitas vezes encarados como uma alternativa ao consumo de leite de vaca. Nas receitas, é muitas vezes feita a troca dos laticínios pela bebida de amêndoa, aveia, arroz, ou outra que o consumidor prefira. Contudo, será que estes alimentos são nutricionalmente equivalentes? E quem são as pessoas que mais procuram este tipo de bebidas? No ato da escolha, o que devemos ter em consideração? E vale mesmo a pena comprar bebidas vegetais enriquecidas com outros nutrientes? Para dar resposta a todas estas questões (e não só), falámos com a nutricionista Ana Leonor Perdigão.

Porque é que as pessoas procuram as bebidas vegetais?

“A diminuição do consumo de leite a que se tem assistido e a sua substituição por alternativas vegetais tem razões diversas”, esclarece a nutricionista Ana Leonor Perdigão, referindo que “algumas delas estão efetivamente relacionadas com a saúde, como eventuais alergias e intolerâncias alimentares, por exemplo, à proteína ou à lactose”. Mas nem só restrições alimentares motivam o consumo de bebidas vegetais. “Pode estar também associado a questões de ordem ética e de preocupação com o bem-estar animal e/ou a sustentabilidade ambiental, que muitas vezes se traduzem na adoção de padrões alimentares vegetarianos ou mesmo veganos, em que não só o leite, mas também a carne e o peixe acabam por ser eliminados”, conta-nos a nutricionista. As faixas etárias mais jovens são quem mais faz questão de ter sempre bebidas vegetais na despensa. Contudo, Ana Leonor Perdigão não tem dúvidas de que o consumidor-tipo destes alimentos “valoriza muito uma alimentação saudável e sustentável, procurando qualidade e variedade acima de preço”.

Vantagens de consumir bebidas vegetais

Desengane-se quem pensa que as bebidas vegetais fazem o lugar dos lacticínios. Estes alimentos não são nutricionalmente equivalentes ao leite e, por isso, não devem ser encarados como “substitutos”; é importante continuar a ingerir leite, “principalmente em grupos como grávidas, mães a amamentar e crianças”. Ainda assim, podem ser integradas num padrão alimentar variado, equilibrado e completo, afirma a nutricionista. “São ótimas alternativas para vários momentos do dia, trazem variedade e diversidade à alimentação e integram outros alimentos e sabores na alimentação do consumidor. São ainda produtos inclusivos porque se houver elementos da família com necessidades nutricionais especiais todos podem usufruir destas opções sem a necessidade de ter um produto específico para cada um”, explica Ana Leonor Perdigão. Vantagem extra? “Os produtos à base de ingredientes vegetais têm menor impacto ambiental, o que faz deles uma opção mais amiga do ambiente”, remata. Mas, atenção: “Como as opções são muito variadas, é necessário verificar se existe alergia ou intolerância a algum dos ingredientes destas bebidas (por exemplo, à soja)”, salvaguarda.

“Os produtos à base de ingredientes vegetais têm menor impacto ambiental, o que faz deles uma opção mais amiga do ambiente”.
Dra. Ana Leonor Perdigão

São todas boas opções?

As bebidas vegetais não são todas iguais. Há inúmeros sabores – da famosa soja às bebidas de amêndoa, aveia ou até arroz – e muitas são até enriquecidas com alguns nutrientes-chave, como cálcio. Saber que a oferta é vasta é bom para o consumidor, contudo, também pode dificultar a escolha. Para que a próxima ida ao supermercado não seja uma enorme dor de cabeça, a nutricionista Ana Leonor Perdigão esclarece algumas questões acerca das diferentes opções dispostas nas prateleiras das superfícies comerciais. Por exemplo, as bebidas vegetais combinadas são uma boa escolha? A resposta é “sim, se a conjugação de ingredientes lhes acrescentar valor nutricional ou um sabor mais apreciado. Por exemplo, conjugar vários tipos de cereais (como aveia e arroz) ou ingredientes de “famílias” diferentes como cereais (aveia, arroz…) e frutos secos e/ou oleaginosos (amêndoa, coco…) torna a bebida mais rica e mais saborosa”. Também as bebidas vegetais enriquecidas podem ser vantajosas: “Especialmente quando são usadas como substitutas do leite, é aconselhável que sejam enriquecidas nos nutrientes que este fornece como as diversas vitaminas e minerais acima referidos”, explica. Quanto às bebidas com aroma, a resposta não é tão preto no branco. De acordo com a nutricionista, pode eventualmente consumir este tipo de bebida, “desde que o ingrediente que a aromatiza seja natural e não acrescente açúcar ou valor calórico. Uma vez mais, é uma questão de preferência pessoal”.

“Por exemplo, conjugar vários tipos de cereais (como aveia e arroz) ou ingredientes de “famílias” diferentes como cereais (aveia, arroz…) e frutos secos e/ou oleaginosos (amêndoa, coco…) torna a bebida mais rica e mais saborosa”
Dra. Ana Leonor Perdigão

Bebidas vegetais transformadas em lattes

“Além da variedade da gama e da certificação vegan, têm um sabor suave e cremoso. Por fim - mas não menos importante -, estão disponíveis em práticas saquetas individuais, sendo de preparação fácil e rápida: basta adicionar água quente, mexer e o latte está pronto para saborear”.
Dra. Ana Leonor Perdigão

São cada vez mais as receitas que incluem na sua lista de ingredientes as bebidas vegetais, como bolos, molhos ou até sobremesas. Mas o que sabe mesmo bem no inverno são bebidas quentes. Se é fã de bebidas vegetais, os Nescafé Gold Lattes vão fazer as suas delícias. Disponíveis em três sabores – coco, amêndoa ou aveia -, estes lattes são 100% vegetais e contêm café solúvel arábica de alta qualidade. “Além da variedade da gama e da certificação vegan, têm um sabor suave e cremoso. Por fim – mas não menos importante -, estão disponíveis em práticas saquetas individuais, sendo de preparação fácil e rápida: basta adicionar água quente, mexer e o latte está pronto para saborear”. Mais simples é impossível. E qual a melhor altura do dia para consumir estes deliciosos lattes? Qualquer uma. “Podem ser consumidos ao pequeno-almoço, ao lanche ou em qualquer outro momento. Independentemente da hora do dia, é uma questão de disposição e pode ser apreciado sempre que quiser fazer uma pausa, relaxar ou saborear um latte suave e cremoso”. E se é a nutricionista que o diz, só nos resta concordar.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.